Corta, baralha e cola

by Le petit bas-bleu

Aqui, diante de mim,

Orfeu rebelde, canto como sou,

No silêncio do parque abandonado,

Cansada da uniforme rotação,

Assim eu canto, sem me ouvir cantar.

Veste-me a pequenez,

E nas minhas palavras vou sentindo

Carne da nossa carne,

Apodrecida,

Outros felizes…

Canto como quem usa,

Os versos em legítima defesa,

Me confesso de ser tudo

Que possa nascer em mim,

Me confesso de ser eu,

Aqui diante de mim!

adaptado de M. Torga

Anúncios